Palop News, Noticias em Portugues no Reino Unido

  • Aumentar fonte
  • Tamanho normal
  • Diminuir fonte

Eles também fodem

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
A hipócrisia da religião não tem limites. Condena qualquer homem que recuse dar a paternidade a uma criança, desde que o pai não seja padre, ou por outras palavras, que não faça parte da oligarquia da Igreja Católica.
O Bispo do Funchal, D. António Carrilho (para lá da piada do D.), veio referir que não são toleradas "vidas duplas" quando se refere ao Padre Giselo Andrade da igreja de Nssª Srª do Monte no Funchal, Ilha da Madeira - Portugal.
Caricato se pensarmos que a abstinência sexual, mesmo que teóricamente, contraria toda a essência animal a que todos pertencemos, padres, bispos e papas incluídos. Tomo mesmo a liberdade de questionar, como pode um homem que na sua juventude decida ser padre, atravessar toda uma vida até á velhice sem dar uma "cambalhota", principalmente quando nos questionamos sobre todos os casos de pedófilia que mancha a Igreja Católica Universal e Romana.
Como se consegue nos dias de hoje, encher espaços religiosos geridos por pessoas que implicitamente, chamam os seus seguidores de estúpidos já que outra forma não há para definir as vidas duplas que acontecem e são superiormente negadas pela estrutura religiosa?
Como se pode afinal acreditar num negócio cujo principal produto é a Fé, sem que paguem ao fornecedor?
Os cristãos, têm tanta dificuldade em acreditar que os mártires muçulmanos têm sete virgens que os esperam no Céu, como os muçulmanos têm dificuldade em acreditar que uma virgem possa ter parido.
Afinal, o que nos divide, não é o futebol; nem tampouco a política. O que nos divide mesmo, é a religião.
Uma Bíblia (conjunto de livros) que defende ter sido inspirada num credo de amor ao próximo, de mesiricórdia, de paz entre os povos, está afinal, recheada de episódios de guerra falando mesmo de um Deus de amor e misericórdia que mais não tem feito do que matar quam decide ter a liberdade de ser á Sua imagem e semelhança. Vejam-se os casos do Dilúvio cuja salvação foi protagonixada por Noé, ou a morte dos egípcios que perseguiram Moisés. Veja-se o caso de Abraão, Caim e Abel e descobrimos um caos de morte e terror protagonizado pelo próprio Deus de amor e misericórdia.
Veja-se a falta de explicações sólidas a que chamam dogmas já que o Homem, feito á semelhança de Deus, não tem acesso á informação daquilo que não entende. Afinal, não passou assim tanto tempo desde que as missas eram dadas em Latim para que os seguidores fieis não a entendessem.
Vejam-se os investimentos imobiliários da própria Igreja Católica e muitas outras igrejas cristãs, e tentemos descobrir a diferença desses investimentos e das verbas gastas em benefício alheio. Veja-se o exemplo do Cristo (a que prefiro chamar Jesus) que viveu miseravelmente e a ostentação das religiões que proliferam ao redor do Mundo.
Veja-se a fortuna acumulada pela Igreja Universal Reino de Deus fundada no Brasil, a investigação por encomenda da IBM para as Testemunhas de Jeová que possuem o maior império gráfico do Mundo, os rios de dinheiro alegadamente lavado no tráfico de droga, na prostituição de ambos os sexos, na venda de armamento protagonizado pelas diversas correntes religiosas que falam de amor.
Quanto ao padre do Funchal, temos como certo que sendo assumidamente pai, será impedido de exercer a sua profissão, quiçá, uma profissão de Fé e assim talvez se perca uma vocação, só porque cedeu ao seu instito animal e decidiu assumir as suas responsabilidades.
Milenarmente, assistimos a que as diversas correntes religiosas, cristãs ou não, contrariam na prática tudo aquilo que tentam fomentar nos seus discursos, muito a exemplo do que acontece com as correntes muçulmanas que apesar de discursarem a união, acabam por fabricar o conjunto de ataques homicidas a que o Mundo tem assistido nas últimas décadas.
Como se Deus fosse o culpado por os homens não entenderem que só existe um Deus que serve a todos.
Os homens, precisam aprender a servir e depois, talvez os padres por vocação, possam livremente ser pais de família de forma livre sem a opressão da mentira das religiões.
Talvez assim, D. António Carrilho aprenda alguma coisa sobre a Humanidade e o Padre Giselo Andrade possa continuar a exercer uma vocação em benefício das populações. Estejam elas na Madeira ou em qualquer lugar desta bola a que chamamos Terra.
E depois falam-me de celibato.
Por este andar, só se for um celibato divino.

Por: Manuel Gomes
Data: 7 Novembro 2017

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar


Page Peel Banner

Tradutor

Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária

JoomCategories for JoomGallery