Palop News, Noticias em Portugues no Reino Unido

  • Aumentar fonte
  • Tamanho normal
  • Diminuir fonte
Home Notícias gerais Notícias gerais Telefone da Esperança dá Cinema português no Blue Sea

Telefone da Esperança dá Cinema português no Blue Sea

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
O restaurante português Blue Sea a Sul de Londres, recebeu o evento do "Telefono de la Esperanza", uma organização não lucrativa, localizada no Lambeth Council onde reside uma extensa comunidade de Língua Portuguesa.
Este 7º ano de actividade vocacionada para a saúde emocional, contou com a projecção de filmes portugueses e a intervenção de especialistas sobre o tema. "Há 17 anos que trabalhamos com diferentes comunidades e onde procuramos através de diversas actividades desenvolver formas de aproximar as pessoas da sua saúde mental e emocional" - diz Nancy Liscano da Organização do evento.
É através de eventos que esta "Charity" desenvolve ferramentas de aproximação entre as pessoas, por forma a ensinar o que são as emoções saudáveis. "Somos 39 voluntários que promovemos actividades de forma a fazer chegar ás pessoas informação e apoio sobre a saúde emocional" - refere a responsável que afirma ter o apoio de uma estrutura semelhante no Porto (Portugal). "Não temos qualquer conotação religiosa ou política e o nosso foco é apenas ajudar as pessoas".
A colaborar nesta iniciativa, está Maria Figueira, uma luso-descendente chegada da Venezuela com raízes familiares na Ilha da Madeira e que no evento falou de alguns passos fundamentais para o equilibrío da saúde emocional. Esta portuguesa entregou-se a esta tarefa depois de ter feito um curso de Crescimento Pessoal e identifica alguns passos para se conseguirem os objectivos para uma saúde emocional. "Uma das coisas que devemos fazer é socializar. Vivemos uma vida apertada de contas para pagar e esquecemos de nós próprios" - revela para continuar - "Precisamos falar com o vizinho e perder o medo de falar com outras pessoas, sem medo de o fazer. Precisamos de actividade física, sair de casa e falar com outras pessoas, precisamos aprender uma coisa nova todos os dias. Pode ser cozinhar um prato diferente ou qualquer outra coisa simples mas precisamos também de estar conscientes dos nossos sentimentos" - afirma.
Com uma filosofia assente no apoio ás populações, a Organização move os seus esforços para levar ás pessoas o que mais precisam para uma saúde mental tranquila. "Temos que procurar tempo para nós e relaxar para podermos aprender a dar de nós que é muito importante. Ajudar os outros é uma ajuda a si próprio e uma forma de pertencer á Comunidade" - diz Maria Figueira que adianta: "Os portugueses são pessoas que trabalham muito neste país. Trabalham duro e esquecem as coisas básicas e essenciais que faziamos quando eramos crianças e que agora estamos esquecidos. O primeiro passo, é fazer as pessoas lembrarem-se disso" - remata.
O público alvo deste trabalho, passa por diversas faixas etárias. Pela informação que foi possível recolher, existem muitos jovens com carências emocionais de diversa ordem mas é sobretudo a população acima dos 45 anos que mais sente os efeitos deste género de problemas depois que os filhos seguem as suas própria vidas. "São as que mais precisam dos nossos serviços" diz Maria Figueira.
Para poderem chegar ás pessoas com este tipo de carência, a estratégia passa por ouvir as pessoas. "As pessoas que não se sentem ouvidas não se sentem respeitadas" - diz Nancy Liscano. "O mais importante é saber ouvir" - afirma.
Para esta responsável, existe uma obrigação de imigrantes ajudarem outros imigrantes como forma de compensarem outros e a si mesmos. "Temos que realizar actividades que permitam que as pessoas se possam conectar com outras pessoas e encontrar formas de compensação por termos deixado a nossa terra e as nossas famílias, e a Língua e a Cultura, são ferramentas poderosas para atingir estes objectivos" - adianta Nancy Liscano.
Com o único objectivo de juntar pessoas a outras pessoas, a gastronomia e o cinema, foram os meios encontrados para este evento que foi financiado pelo Lambeth Council. "Nós somos as nossas circunstâncias e neste caso, estamos a chamar pessoas que falam português para que também elas sejam voluntárias porque quando ajudamos outros, estamos a ajudar a nós mesmos" - finaliza.

PN

Data: 18 Novembro 2017
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar


Page Peel Banner

Tradutor

Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária

JoomCategories for JoomGallery